Pesquisa: 89% das pessoas acreditam que esforço é garantia de sucesso no trabalho

        Estudo com mais de mil participantes revela que os brasileiros ainda vivem um
        conto de fadas ao acreditar que apenas esforço é sinônimo de sucesso. Por outro
        lado, 70% preferem usar melhor seus talentos do que apenas obter salários mais
        altos. Uma pesquisa realizada com 1.058 participantes (53% acima de 35 anos e 59%
        com nível superior) pela Pactive Consultoria, empresa liderada pelo consultor e
        autor Eduardo Ferraz, constatou que 89%, independente da faixa etária e nível de
        escolaridade, acreditam na frase “você pode obter sucesso profissional em qualquer
        área, basta esforço”.

        Segundo o consultor essa crença é um grande equívoco. “Esforço é fundamental,
        mas sem talento é muito difícil ser bem-sucedido em profissões intelectualmente
        complexas. É raro, por exemplo, ser um ótimo cirurgião, matemático, esportista,
        jogador de xadrez, escritor, coach, arquiteto ou músico, apenas com muita
        dedicação. Na verdade, a pessoa pode ser excelente em pouquíssimas atividades,

        medíocre em várias e incompetente na grande maioria delas. Portanto, esqueça as
        áreas em que não tenha afinidade e priorize aquelas em que de fato possui talento.
        Aí sim, uma boa dose de dedicação fará a diferença”, enfatiza ele.
        A ressalva é fundamental porque há outro dado preocupante apontado na pesquisa:
        49,2% – quase a metade – ainda acham mais importante corrigir pontos fracos,
        enquanto 50,8% dos respondentes já tem consciência ser prioritário aprimorar
        pontos fortes para ter resultado na carreira, emprego ou profissão.

        O especialista aponta os motivos pelos quais devemos priorizar os pontos fortes
        para obter a excelência profissional. “Sempre que somos obrigados a fazer uma
        tarefa complicada e que não temos aptidão, sentimos enorme fadiga mental. Essa
        exaustão é resultado de uma ação mais intensa dos neurônios relacionados a esta
        atividade, que leva à produção de adenosina, substância que causa sonolência e nos
        obriga a desistir ou desacelerar e nos impede de sustentar o mesmo nível de
        atividade por muito tempo. Ao contrário, quando você executa uma função que seja
        compatível com seus principais talentos, seus neurônios resistem ao esgotamento
        por muito mais tempo e sustentam tarefas complexas, eficazmente. Por isso, quanto
        mais você conseguir usar seus pontos fortes, maior será sua produtividade”, observa
        Ferraz.

        Ou seja, não quer dizer que uma pessoa precise se acomodar ou não fazer
        tarefas desagradáveis de vez em quando, e sim que é vital definir prioridades e
        gastar energia em carreiras, profissões ou trabalhos em que tenha mais
        oportunidade de se destacar.

        A boa notícia da pesquisa é que quando perguntados sobre o que os motivaria a
        uma mudança de carreira ou profissão, 71% dos entrevistados responderam que
        preferem usar melhor seus talentos e apenas 29% mudariam para ganhar mais. “Aí
        está correto! Escolha áreas em que você tenha vocação, a boa remuneração será
        consequência”, diz o consultor que resume: “Não acredite na balela que você pode
        se destacar em qualquer profissão apenas com esforço. O que dá resultado é
        descobrir seus pontos fortes e, então, dedicar-se bastante para aprimorá-los para
        obter sucesso”, conclui.

        Posted in:

        Deixe uma resposta

        O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *